Câncer de Próstata


Você está em - Home - Informativo - Câncer de Próstata

 

Campanha contra o Câncer de Próstata

 

Novembro Azul é uma campanha de conscientização realizada por diversas entidades no mês de novembro dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata. No Brasil, o Novembro Azul foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque, e obteve ampla divulgação.

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), a cada ano são descobertos 61.200 novos casos de câncer de próstata, com um total de 13.772 mortes/ano. Em termos globais, são mais de 1,1 milhão de novos casos/ano, com mais de 300 mil mortes. É o segundo tumor mais comum em homens (o primeiro é o câncer cutâneo não melanoma) e a terceira principal causa de morte, depois do câncer de pulmão e colorretal. Muitos homens não buscam tratamento por medo de sequelas, como incontinência urinária e disfunção erétil. Mas quando diagnosticado e tratado em tempo hábil, os prognósticos são muito bons.

O câncer da próstata é assintomático e pode levar anos ou décadas para que apareçam os primeiros sintomas. Porém, quando a doença está em estágio avançado, as células prostáticas cancerosas podem crescer rapidamente e provocar dificuldade para urinar ou necessidade em urinar mais vezes durante o dia ou à noite, além de infecção generalizada e até insuficiência renal. A detecção pode ser feita em exames de rotina, com toque retal ou com o exame de antígeno prostático específico (dosagem no sangue), o PSA (Prostate Specific Antigen). Mesmo sem sintomas, a indicação é procurar um urologista a partir dos 40 anos de idade.

O papel da dieta na cascata de eventos que levam ao desenvolvimento do Câncer de Próstata tem despertado a atenção de muitos investigadores, especialmente no que concerne às gorduras. Estudos epidemiológicos sugerem que a ingestão elevada de gorduras constitui um fator de risco importante. Têm sido colocadas várias hipóteses que relacionam o risco de Câncer de Próstata com dietas ricas em gorduras, a partir de observações da distribuição internacional da mortalidade por cancro prostático.

As carnes também são vilãs neste processo, pois foi observado que uma dieta livre de carne pode reduzir o risco de homens desenvolverem o câncer de próstata. Em estudo, após um ano de dieta vegetariana pobre em gorduras, complementada por exercícios aeróbicos moderados e técnicas de controle do estresse, os sobreviventes de câncer de próstata incluídos obtiveram um bom resultado.

Uma substância bioativa muita estudada contra o câncer de próstata é o licopeno, tem a propriedade de proteção, sendo encontrado em alimentos como: tomate, melancia e mamão. Molho de tomate e purê de tomate são tidos como melhores fontes biodisponíveis de licopeno do que as demais fontes de alimentos não cozidos, como o tomate cru. Ao cozinhar o suco de tomate com 1% de óleo ou azeite aumenta-se de duas a três vezes a concentração de licopeno sérico. Outras substâncias bioativas protetoras são os flavonóides e os isoflavonóides encontrados na soja, frutas, legumes, chá e vegetais.