Programa Mundial de Alimentos elogia ações do Brasil no combate à fome


Você está em - Home - Noticias - Programa Mundial de Alimentos elogia ações do Brasil no combate à fome

 

Programa Mundial de Alimentos elogia ações do Brasil no combate à fome

 

Os avanços na área de alimentação e nutrição no país foram destaque de uma publicação na página do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Organizações das Nações Unidas (ONU) na última semana. O PMA/ONU é a maior agência de combate à fome no mundo, responsável por promover a segurança alimentar mundial, de acordo com as recomendações da ONU e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

 

Segundo o texto, nas últimas décadas, o Brasil tem se esforçado continuamente para reduzir a desnutrição e o compromisso. Valeu à pena. Apesar do olhar do mundo estar voltado para o país por causa dos Jogos Olímpicos Rio/2016, o Programa destacou 10 fatos sobre a alimentação no país que merecem a atenção do mundo tanto quanto o evento. Confira alguns deles: Melhorias Para o PMA, o Brasil fez enormes melhorias na área de alimentação e nutrição nas últimas décadas graças a mobilização da sociedade civil, a destinação de recursos para área de nutrição e o compromisso político seguido de ações práticas.

 

Redução das taxas A lista do PMA destaca os avanços no combate ao déficit de altura em crianças mostrando que os índices de prevalência da condição caíram de 19% em 1989, para 7% em 2007. Direito Constitucional à Alimentação O texto cita que em 2010 o Brasil incluiu o direito à alimentação na sua Constituição e é um dos três únicos países do mundo a fazer tal comprometimento.

 

A Constituição reafirma os tratados internacionais e determina que os brasileiros não devem passar fome ou desnutrição, tendo garantido a eles o acesso a uma alimentação adequada e saudável. Amamentação Exclusiva No Brasil, um grande avanço é também o engajamento das famílias para o aleitamento materno exclusivo em menores de 6 meses. A taxa passou por uma notável melhoria de 2% em 1986 para 39% em 2006. Ainda sobre o incentivo a amamentação, é ressaltado que apesar da grande resistência da indústria, o Brasil conseguiu em 2015 regulamentar uma lei que restringe a publicidade de substitutos do leite materno, como fórmulas infantis de leites, chupetas e mamadeiras. Incentivo Local O texto ressalta que os estudantes nas escolas públicas brasileiras recebem pelo menos uma refeição por dia, como parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) que desde 2009, para manter as refeições saudáveis e nutritivas, e cerca de 30% dos alimentos do programa deve ser comprado de agricultores familiares.

 

Guia Alimentar para a população brasileira Ainda no Brasil, em 2014, foi lançado o que o PMA/ONU chama de “inovador” Guia Alimentar que traz orientações alimentares que encorajam as pessoas a evitar produtos ultraprocessados, consumir alimentos integrais em casa e ainda estimula o sentar a mesa, como uma forma de aumentar a apreciação do alimento.

 

A publicação do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Organizações das Nações Unidas (ONU) na íntegra você confere no link a seguir:

 

http://www.blog.saude.gov.br/index.php/entenda-o-sus/51571-programamundial-de-alimentos-elogia-iniciativas-de-alimentacao-e-nutricao-do-brasil